O que é Canvas e como aplicá-lo

Conquistar a independência financeira é algo que todos almejam. Seja por meio de um trabalho assalariado ou iniciando seu próprio negócio. Se você se identificou com a segunda opção, vai gostar de saber que o artigo de hoje aborda justamente como começar. Aliás, como começar bem!

Caso você esteja interessado em começar seu próprio negócio, ter um projeto seja ele dentro ou fora da internet você precisa saber que existem maneiras seguras de dar os primeiros passos e uma delas é Canvas.

Para quem ainda não está familiarizado, Canvas é uma metodologia eficiente, que permite ao empresário ter um controle maior sobre o presente e futuro da sua empresa através de muitas pesquisas onde ele conseguirá entender seu público, seu produto, valores e dores do mercado no qual ele deseja entrar. E assim entender como sua empresa ou produto pode suprir estás carências.

Atualmente o Canvas é bastante usado por Startups. Assunto o qual trataremos em breve aqui. Mas continuando… E colocando em pratos limpos: O Canvas serve para que você tenha uma visão geral do seu negócio ou produto. Para que então você consiga prever e escapar das armadilhas que podem levar sua empresa para o buraco.

Afinal como você já deve ter ouvido: No Brasil quase metade das empresas fecham suas portas após os 3 primeiros anos de vida. (Fonte SEBRAE)

E para isso não acontecer, Alexander Osterwalder e Yves Pigneur autores do livro Business Model Generation, projetaram um modelo que fosse coerente com a proposta das empresas abrangendo as necessidades de negócios que está no início.

Para isso dividiram o Canvas em 9 partes:

1. Segmentos de clientes: Público para o qual você vai dirigir seu serviço ou produto, com quem você fará negócios;

2. Proposta de valor: Fase na qual você irá se questionar e descobrir aquilo que você vai oferecer a este público, tendo ciência sobre qual problema do consumidor você quer resolver;

3. Canais:
Decidir quais canais você vai utilizar para divulgar, se relacionar com os clientes e também fazer negócios;

4. Relacionamento com o consumidor:
 Definir como e qual será a forma de relacionamento com seu público;

5. Fontes de lucro:
Valor que os clientes estão dispostos a pagar pela sua proposta e quais podem ser as formas de pagamento;

6. Recursos pontuais:
Recursos imprescindíveis para fazer o seu negócio andar;

7. Atividades necessárias:
Atividade na qual seu negócio se baseia;

8. Parcerias:
Parcerias necessárias para por em prática sua proposta de valor;

9. Custos:
Gasto baseado na projeção do seu plano de negócio.

Este método é realmente claro, objetivo e nos ajuda a perceber as possibilidades tanto de falha quanto êxito de um projeto ou empresa.

 

 

About

Start typing and press Enter to search